News

All News

“Esta Grande Visão” - Moshe Rosenthalis

16.05.2013

“Esta Grande Visão” - Moshe Rosenthalis


Uma nova e empolgante exposição foi inaugurada em março de 2013 no Beit Hatfutsot.
Moshe Rosenthalis (1922-2008) pintou quatro quadros monumentais (1978-1980) nos quais descreve a narrativa visual da história do Povo Judeu.


O Beit Hatfutsot assumiu a responsabilidade de exibir pela primeira vez estas pinturas ao público israelense. As dimensões são enormes: seis metros de largura por um metro e meio de altura. O objetivo da exposição é mostrar os esboços, rascunhos e desenhos preliminares que serviram de preparativos para Rosenthalis criar seu trabalho monumental.


Através deles, os visitantes poderão seguir o fascinante processo criativo deste artista israelense, que dedicou dois anos de pesquisas profundas sobre os temas, na busca por imagens extraordinárias. Os temas da série de pinturas, por mais estranho que pareça, são um fenômeno raro na história da arte pública de Israel.


Os títulos da série estão organizados em ordem cronológica:
• O Êxodo do Egito
• Da Inquisição até a Imigração à Palestina Judaica
• Da Guerra de Independência de Israel à colonização do Deserto do Neguev
• Jerusalém


 

As pinturas foram encomendadas pelo empresário Saul Eisenberg para decorar a sala da diretoria da “Asia House” em Tel Aviv (1978). Assim, apenas um grupo reduzido de executivos podia apreciar estes trabalhos de Rosenthalis, que nunca haviam sido expostos ao público.

 

A comunidade artística israelense em geral supõe (erroneamente) que narrativas visuais de dogmas Sionistas significam automaticamente trabalhos encomendados e ditados pela classe política. Consequentemente, esta ideia pressupõe que o artista responsável por tais obras sucumbe às ordens do patrono do trabalho.

 

Em contraste, o conceito de “A História do Povo Judeu” de Rosenthalis foi totalmente concebido por ele, sem interferência alguma de Eisenberg, que encomendou os trabalhos, ou de qualquer outra pessoa. O artista concebe o início da história Judaica com os Dez Mandamentos, recebidos por Moisés no Monte Sinai e outorgados aos israelitas; ele visualiza sua etapa final nos empreendimentos Sionistas de colonização do deserto do Neguev, e na cidade de Jerusalém depois de 1967. Seu profundo conhecimento da cultura e da tradição judaica permite que trace uma grande variedade de motivos e ideias visuais.

 

As quatro pinturas de “A História do Povo Judeu” são, sem dúvida, a joia da coroa da obra artística de Rosenthalis, tanto realista quanto abstrata; elas refletem o vigor e a perícia do artista. Tímido e oculto por décadas, devido ao domínio do abstrato na comunidade artística israelense durante as décadas de 1960 e 1970, o reaparecimento da série hoje em dia significa um evento artístico fascinante.
 
Rosethalis esteve à frente do seu tempo ao criar um sumário visual da experiência israelense. A exposição, que posteriormente será permanente no Beit Hatfutsot, é um acontecimento muito esperado, graças ao significado singular deste retrato monumental do texto histórico.

A exposição tem a colaboração da “Rosenthalis House”.

 

Curador: Alec Mishory; Promotor da Exposição: Avner Rosenthalis; Diretora do Departamento de Curadoria: Smadar Keren.